Caro leitor, este é o blog "Cronistas Suburbanos". A intenção deste blog é falar do lado B da cultura do Rio de Janeiro, mais especificamente da Zona Oeste Carioca. Traremos para o leitor o que é produzido de melhor neste canto da cidade, às vezes esquecido pelo poder público: teatro, cinema, arte, a vida na região, cultura e o simpático comportamento da população de forma geral. Comente e compartilhe à vontade.

terça-feira, 5 de maio de 2015

A importância de Senador Vasconcelos



Foto: Google Earth - Leandrop7 (site Panoramio)

Por Allan Duffes

De todos os bairros da Zona Oeste o que menos chama atenção é um minúsculo e impressionante bairro. Espremido entre Campo Grande e Santíssimo, Senador Vasconcelos resiste ao tempo e desperta a curiosidade porque não há quem se pergunte quando passa se realmente existe, e quando descobrem que sim perguntam para que está ali. Sim, Senador Vasconcelos existe, tem uma estação de trem que leva o nome do mesmo senador (Augusto Vasconcelos) e ainda conta com uma famosa igreja que quase ninguém sabe que fica lá.

Senador Vasconcelos também tem seu valor e sua importância, porque sem ele o ramal de trens de Santa Cruz teria apenas 32 estações da Central do Brasil ao terminal Santa Cruz no serviço parador e não 33 como o habitual. Sem esse bairro, algumas pessoas não teriam casa, teria um buraco na Avenida de Santa Cruz e na Estrada do Pré (por que esse nome?), a XVIII Região administrativa da cidade do Rio de Janeiro teria uma preocupação a menos e ninguém teria decretado fundação nenhuma em 23 de julho de 1981.

Quem conhece moradores de Senador Vasconcelos? E mais ainda quem conhece gente que diz que mora em Campo Grande, mas não é? Momento de profunda reflexão, porém que fique bem claro que quem mora na Rua Arthur Rios mora em Senador Vasconcelos. Fim do mistério e lá vai história do bairro encontrada no Wikipedia, na qual nada é confiável, mas foi o único site que abriga a grandiosa história do bairro: A região fazia parte do traçado da Estrada Real de Santa Cruz. Sua história se confunde com a do bairro de Campo Grande, com limites entre as fazendas das Capoeiras e do Lameirão. Mais tarde, por ela passou a antiga estrada Rio-São Paulo que, em viaduto, ultrapassava linha férrea do ramal de Mangaratiba (atual de Santa Cruz), onde foi instalada, em 1914, a estação Senador Augusto Vasconcelos.

Depois da vitoriosa história do lugar encontra-se outra informação. Muita gente quando passa pela Avenida de Santa Cruz encontra uma placa na qual está escrito "Igreja de São Pedro (à direita)" e nela muitos católicos visitam e fazem retiros. Para a informação ela fica em Senador Vasconcelos. Das outras maravilhas deste bairro incrível, encontra-se a garagem da falida empresa de ônibus Ocidental, a falida casa de shows da elite carioca Big Field e um pasto com algumas antenas da concessionária de energia elétrica.

Mesmo sendo pequenino e passar despercebido os moradores de Senador Vasconcelos deveriam se mobilizar e montar um cartão de visitas para este bairro, até porque muitas vezes é preciso passar por ele para chegar até Campo Grande ou desbravar o infinito da Zona Oeste. Este texto homenageia e dá reconhecimento ao lugar, e mostra que mesmo tendo pessoas que se esquecem dos lugares do Rio, principalmente na Zona Oeste, sempre tem uma alma para lembrar. Essa é a proposta do blog.

  4 comentários:

  1. Muito Bom o resumo sobre a história de Senador Vasconcelos.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Conforme dito anteriormente Nasci Cresci e vivi neste bairro. Rogerio campos "Gero ou gerinho".

    ResponderExcluir
  4. As pessoas não têm noção de geografia,a maioria acha que senador Vasconcelos é sub bairro de campo Grande,deveriam existir mais placas informando o local.

    ResponderExcluir

Total de visualizações

Seguidores